Salmonela desponta como um dos parasitas mais mortais da África

salmonela Africa

Diante de doenças com grande taxa de mortalidade, como a Aids e a malária, programas de saúde na África dão pouca atenção a patógenos para os quais já há cura existente.

Um levantamento recente, porém, mostra que a salmonela, uma bactéria normalmente associada apenas à diarreia, é um dos parasitas que mais matam no continente.

Patrocinada pela Fundação Bill e Melinda Gates, a pesquisa estimou o impacto por salmonela na África Subsaariana em mais de 341 mil mortes para um único ano.

A região também tem uma incidência considerada alta de febre tifoide, doença provocada por uma das variedades da bactéria, matando 33 mil pessoas por ano ali.

Os dados são referentes a 2010, o ano para o qual os pesquisadores conseguiram reunir informações mais precisas.

“A salmonela não tifoidal é em geral associada a diarreia no ocidente, mas na África subsaariana é a principal causa de sepse [infecção generalizada] e intoxicação sanguínea”, afirma John Crump, diretor do Centro Internacional de Saúde da Universidade de Otago (Nova Zelândia), que liderou o trabalho.

Um dos maiores problemas, afirma o cientista, é justamente o da sobreposição de casos de salmonela com malária e HIV, pois a bactéria ataca pacientes que já estão fragilizados.

“Salmonela não tifoidal ataca bebês e crianças pequenas, particularmente aqueles com malária e desnutrição, além de adultos com HIV”, diz Crump. “Cerca de 20% daqueles que contraem intoxicação sanguínea por salmonela morrem.”

Apesar de os números de malária estarem diminuindo na África, porém, cientistas acreditam que a incidência de salmonela seja mais persistente.

A malária agora tem matado cerca de 550 mil pessoas por ano na região, enquanto salmonela pode já estar se aproximando dos 400 mil.

A estimativa divulgada agora, afirma, é conservadora, porque é difícil monitorar a presença da bactéria, devido à quantidade de casos não reportados de sepse.

Os números obtidos pelos pesquisadores estão em um pacote de estudos na revista Clinical Infectious Diseases.

O conjunto de artigos inclui trabalhos sobre o surgimentos de variedades de salmonela resistente a antibióticos, sobre a assinatura genética da bactéria e simulações para entender como ela tem se espalhado.

No Brasil, a disseminação da salmonela está sob relativo controle, apesar de ainda existirem alguns surtos.

O microbiologista Eduardo Cesar Tondo explica no vídeo abaixo como a bactéria se dissemina.

fonte: http://g1.globo.com/bemestar/noticia/2015/10/salmonela-desponta-como-um-dos-parasitas-mais-mortais-da-africa.html

 

Anúncios

Publicado em 17 de outubro de 2015, em Food Safety, Microbiologia e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: