Alunos e funcionária de escola no ES passam mal após comer merenda

4294795_x360

 

Dezesseis estudantes e uma funcionária da Escola Estadual Coronel Antônio Duarte, em Iconha, Sul do Espírito Santo, precisaram ser hospitalizados nesta quinta-feira (2).

Eles contaram que passaram mal após comerem a merenda oferecida no local.

Amostras da refeição foram recolhidas pela Vigilância Sanitária para que a causa seja investigada.

Uma aluna, que não quis ser identificada, contou que os sintomas começaram logo após comer a merenda.

“Assim que eu acabei a merenda, minha língua começou a coçar. Coçou muito. Tomei um pouco de água e passou, mas na hora de ir embora voltou. Pelo que eu tava vendo, não parava de chegar gente no hospital”, disse.

A mereda da escola é terceirizada.

Segundo os alunos, o cardápio desta quinta-feira foi arroz, strogonoff de frango e salada de tomate com repolho.

O que chamou a atenção no hospital é que nenhuma das pessoas que passou mal apresentou sintomas de intoxicação alimentar por bactéria, que ocorre quando algo no alimento está estragado.

Ninguém teve vômito, diarréia ou náuseas.

O médico Michel Mameri, que atendeu os estudantes e a funcionária, falou que os sintomas são de uma reação alérgica por outro tipo de intoxicação.

“Eles tiveram sintomas de intoxicação química, principalmente afetando a garganta, o nariz e a laringe”, disse.

No caso da funcionária, foi ainda pior. “Ela já tinha um quadro alérgico, então ela teve que ficar no oxigênio”, disse o médico.

Todos foram medicados e passam bem. Na escola, ninguém quis comentar o assunto.

Uma equipe da Vigilância Sanitária do município foi até o local para recolher amostras da merenda e de água.

Secretaria de Educação e prefeitura
A Secretaria Estadual de Educação (Sedu), responsável pela escola, informou que o fornecimento da alimentação escolar é feito por uma empresa terceirizada e que vai investigar o que pode ter causado a reação.

A prefeitura de Iconha disse que o material recolhido pela Vigilância Sanitária seguiu para análise em laboratórios de Cachoeiro de Itapemirim e Vitória.

 

fonte: G1

 

 

Anúncios

Publicado em 2 de julho de 2015, em Food Safety, Microbiologia e marcado como , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: