Pesquisa global aponta que 75% das regiões produtoras estão ameaçadas por micotoxinas

micotoxinas

A cadeia de produção de proteína animal enfrenta graves desafios devido à contaminação de matérias-primas por micotoxinas.

As ameaças são severas ou intensas em 75% das regiões produtoras, conforme a pesquisa global realizada pela Biomin.

O levantamento traz dados relevantes sobre a prevalência das seis maiores micotoxinas encontradas nas commodities agrícolas utilizadas para a produção de ração animal.

Apontado como um dos mais abrangentes nesta área, o recente estudo usa metodologias analíticas avançadas em quase sete mil amostras colhidas em 64 países.

Estas amostras geraram 26 mil análises para identificar a presença de micotoxinas e metabólitos fúngicos e quantificar o risco potencial para a produção animal.

Os metabólitos tóxicos produzidos pelos fungos podem ser prejudiciais para o trato gastrointestinal (TGI), abrem a porta para agentes infecciosos e/ou predispõem os animais a uma redução do desempenho e ao desencadeamento de doenças.

Para antecipar algumas medidas preventivas e corretivas é necessário monitorar os níveis e o perfil de contaminação das matérias-primas usualmente utilizadas para a produção de ração animal, de acordo com o médico veterinário Guilherme Borchardt Neto, Gerente Técnico da Biomin.

“A prevalência de micotoxinas e metabólitos fúngicos encontrados em grande parte das matérias- primas é vista com grande apreensão pela indústria da produção animal.

As razões para tal são claras: a eficiência da produção pode ser altamente impactada na presença destas subtâncias”, alerta.

De acordo com a pesquisa, Deoxynivalenol (DON) representa a ameaça mais frequente dos rebanhos.

No entanto, os níveis de fumonizinas ou zearalenona também merecem atenção redobrada.

Novos resultados

Os dados de 2014 também demonstraram que a contaminação está acima dos níveis observados no ano anterior.

O número de amostras positivas para Aflatoxina decresceu de 30% para 22% em 2014, embora a concentração média por amostra tenha quase dobrado de 33 ppb para 64ppb.

A frequência das outras cinco micotoxinas analisadas aumentou em relação ao ano anterior, sendo que a média da concentração de zearalenona e deoxinivalenol (DON) também quase duplicaram para 221 ppb e 1394 ppb, respectivamente.

Pela primeira vez, a pesquisa incluiu resultados da metodologia de análise de múltiplas micotoxinas.

O Spectrum 380® é um método capaz de detectar mais de 380 micotoxinas e metabólitos fúngicos em uma única etapa.

O método avançado é baseado em cromatografia líquida – espectometria de massa / espectometria de massa (LC-MS/MS).

A análise com o Spectrum 380®® revelou que uma típica commoditie agrícola contém, em média, 30 diferentes metabólitos de micotoxinas.

“O Spectrum 380®® pode auxiliar as empresas a melhor entender o status de contaminação da sua matéria-prima, algo que ainda não era possível de ser revelado pelos métodos tradicionais de análise”, complementa Ursula Hofstetter, Diretora do Centro de Competência em Micotoxinas da Biomin.

fonte: http://www.suinoculturaindustrial.com.br/noticia/pesquisa-global-aponta-que-75-das-regioes-produtoras-estao-ameacadas-por-micotoxinas/20150401091705_I_348

Anúncios

Publicado em 1 de abril de 2015, em Contaminantes, Food Safety, Micotoxinas e marcado como , , , , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: