Proibição de Avermectinas não atinge cadeia de aves e suínos no Brasil

 

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento publicou a Instrução Normativa Nº 13 de 29 de maio de 2014 que proíbe a comercialização e o uso das lactonas cíclicas (Avermectinas) de longa ação e não todas as Avermectinas as avermectinas com períodos de carência de até 42 dias continuam liberadas. No entanto, a medida não deve afetar a cadeia de aves e suínos brasileiras, de acordo com o pesquisador Luizinho Caron, chefe de Transferência de Tecnologia da Embrapa Suínos e Aves. “A IN Nº 13 afeta basicamente bovídeos, pois não são utilizadas em suinocultura ou mesmo avicultura. A medida foi tomada pelo MAPA devido a detecção de resíduo de Avermectinas pelos importadores de carne bovina brasileiros. No entanto sabemos que a norma causou polêmica no setor”, explica.

 

Avicultura e Suinocultura Industrial fez alguns questionamentos para Caron sobre a IN. Confira a seguir:

– Qual a posição da Embrapa Suínos e Aves sobre esta discussão em torno da Instrução Normativa Nº 13?
A Instrução Normativa Nº 13 de 29 de maio de 2014 que proíbe a comercialização e o uso das lactonas cíclicas (Avermectinas) de longa ação (mais de 42 dias de período de carência) afeta basicamente bovídeos, pois não são utilizadas em suinocultura ou mesmo avicultura. A medida foi tomada pelo MAPA devido a detecção de resíduo de Avermectinas pelos importadores de carne bovina brasileiros. No entanto sabemos que a norma causou polêmica no setor.

 

– Sabemos que o uso de tais substâncias não é feito pelo setor avícola. Correto? De alguma forma, essa proibição sobre trazer alguma consequência para esta cadeia?
Sim, de fato estas substâncias não são utilizadas pelo setor avícola, assim não traz qualquer impacto para a cadeia avícola.

 

– No caso da suinocultura, as substâncias podem ser usadas para tratamento e controle de parasitas internos e externos. Com isso, a proibição do Mapa pode ter algum impacto negativo? De que forma?
Na verdade, não afetará a suinocultura, pois as lactonas cíclicas que são utilizadas na suinocultura não são de longa ação, as quais são quase que exclusivamente utilizadas na bovinocultura. Assim, as avermectinas que são utilizadas para controlar endo e ectoparasitas em suínos não são afetadas pela respectiva IN e poderão continuar sendo utilizadas. Vale mencionar que todos os medicamentos de uso veterinário devem ser receitados por médico veterinário e a carência dos medicamentos para o abate é fundamental para manutenção de mercados exigentes que o Brasil tem conquistado e, obviamente, é uma questão ética a ser observada por produtores e Médicos Veterinários: produzir dentro das normas legais e ficando dentro dos limites de resíduos permitidos na carne.

 

– Que alternativas o produtor pode buscar para o controle dos parasitas tratados com ivermectinas?
Na verdade como as avermectinas de longa ação não são utilizadas em suínos, os veterinários poderão continuar receitando o medicamento e os produtores utilizando os mesmos. Mas como mencionado acima é importante sempre observar o período de carência do produto para o abate dos animais.

Fonte:  Redação Avicultura e Suinocultura Industrial

Anúncios

Publicado em 24 de junho de 2014, em Food Safety e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: