Ivermectina: novo caso de resíduo de vermífugo em carne do país

ivermectina

No momento em que o Brasil tenta abrir o mercado americano para a carne bovina in natura, a carne bovina industrializada brasileira, já vendida aos Estados Unidos, pode ser embargada pelo país.

O Valor teve acesso a um documento em que os EUA informam ao Ministério da Agricultura ter detectado resíduos acima dos níveis permitidos do vermífugo ivermectina em um lote de carne enlatada da JBS.

O memorando 143, do Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Dipoa), datado do dia 21 de março e encaminhado à Secretaria de Defesa Agropecuária (SDA), vem à tona justamente quando se esgotava o prazo para que o ministério brasileiro enviasse um relatório com as mudanças feitas após a visita de veterinários americanos em 2013.

Nessa visita, os veterinários propuseram medidas para evitar novas ocorrências de casos de ivermectina acima do permitido pelos EUA na carne enlatada.

O prazo para envio do relatório foi sexta-feira.

“Será o mesmo problema que tivemos em 2010. O cenário para o embargo está pronto”, disse uma fonte.

Naquele ano, os EUA detectaram resíduos acima do permitido do vermífugo em carne proveniente do Brasil e fecharam temporariamente seu mercado ao produto.

A notificação, segundo uma fonte, foi entregue ao Ministério da Agricultura que não divulgou seu conteúdo e, procurado, não confirmou seu recebimento até o fechamento desta edição. O lote com a violação era originário da unidade da JBS (SIF 337), na cidade paulista de Lins.

Procurada, a JBS informou que ainda não foi notificada.

Segundo uma fonte do ministério, o problema com a ivermectina está justamente no uso de diversos produtos com períodos de ação diferentes.

“A indústria [de carne] quer regular mais a ivermectina.

Hoje, existem vários produtos.

Às vezes, o pecuarista usa um e o animal é abatido antes do efeito passar, o que deixa resíduos na carne”, disse a fonte.

A SDA, afirmou uma fonte, está indecisa sobre quais garantias pode dar aos americanos para atender a exigência em relação aos níveis residuais de ivermectina. “Existe um impasse insolúvel entre a associação que representa a indústria de carne, o Dipoa e os fabricantes do produto.

Os dois primeiros querem o banimento do produto, enquanto o terceiro não aceita, alegando falta de elementos técnicos”, disse.

Segundo a mesma fonte, o FSIS, departamento do USDA equivalente ao Dipoa, quer enviar uma missão ao Brasil, mas a SDA vem atrasando o planejamento para ganhar tempo até decidir o que fazer no caso da ivermectina.

Fonte:  Valor Econômico

em: http://www.aviculturaindustrial.com.br/noticia/novo-caso-de-residuo-de-vermifugo-em-carne-do-pais/20140324090528_Z_653

Anúncios

Publicado em 6 de abril de 2014, em Contaminantes, Medicamento Veterinário e marcado como , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: