Anvisa cria regras para “sujeira tolerada” em alimentos

140883

A partir desta semana, a indústria alimentícia terá parâmetros definidos sobre a quantidade de “sujeira” tolerada em bebidas e alimentos vendidos no Brasil.

Norma aprovada na semana passada pela Anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) aponta limites máximos de “matérias estranhas macroscópicas e microscópicas”, como fragmentos de insetos -menos de baratas, formigas e moscas- e pelos de rato, aceitos em produtos como geleia e achocolatados.

Hoje, não há limites de tolerância.

Sem esses parâmetros, as vigilâncias apontam dificuldade na aplicação de medidas sanitárias, alvo recorrente de ações judiciais.

O diretor da Anvisa Renato Porto diz que eliminar qualquer traço dessas matérias , é muitas vezes, inviável.

Na canela em pó, por exemplo, ser permitido, em 50 gramas, até 100 fragmentos de insetos, como borboletas.

“Tratando-se da canela, que a casca da planta retorcida, inevitavelmente encontram-se matérias estranhas de difícil remoção”, afirma relatório da Diretoria de Regulação Sanitária da Anvisa.

Dificuldade semelhante encontrada no cultivo de tomates, cuja rotatividade “principalmente com culturas de milho, atrai a presença de roedores”.

A definição de limites de tolerância para produtos de tomate considerou a análise de cerca de 7.000 amostras: 12% tinham pelo de roedor.

O limite estabelecido pela Anvisa é de um fragmento de pelo a cada 100 gramas.

A Anvisa ressalta que o texto não “permite” a presença de matérias estranhas, mas “tolera” quando há ocorrência mesmo com boas práticas de fabricação e sem colocar em risco a saúde da população.

“Nossa preocupação foi não aceitar nenhum limite de sujeira que coloque o cidadão em risco, e elevar o nível da indústria nacional”, disse o diretor da Anvisa Folha.

Segundo Porto, a adoção das novas regras segue modelo adotado na maioria dos países.

Pedro Germano, sanitarista formado pela USP, afirma que considera aceitável a fixação dos limites se a politica segue diretrizes europeias e americanas.

Mas ele aponta ser compreensível uma reação negativa do consumidor ao identificar traços de insetos ou roedores nos alimentos.

” É difícil que um ou dois pelos de roedor causem problema [de saúde] em uma quantidade grande do produto. Mas, se eu encontrar um pelo no purê de tomate, vejo que o produto não está legal.”

As novas regras devem ser publicadas no início desta semana no “Diário Oficial da União” e tem efeito imediato.

 

fonte: Folha de São Paulo

em: http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/03/1433155-anvisa-cria-regras-para-sujeira-tolerada-em-alimentos.shtml

Anúncios

Publicado em 31 de março de 2014, em Contaminantes, Food Safety e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: