Troca de corantes artificiais por naturais é desafio para a indústria de alimentos

artificiais_texto

A substituição de corantes artificiais pelos naturais não é uma solução simples nem barata para as indústrias.

“Os produtos não ficam tão brilhantes ou coloridos nem tão estáveis quanto à versão industrializada”, diz o nutrólogo Edson Credidio, pesquisador da Unicamp.

Mas, quando produzidos corretamente, os corantes naturais têm tingimento similar ao dos sintéticos, diz ele.

Em nota, a Abia (associação das indústrias da alimentação) diz que toda substituição de aditivo alimentar tem impacto direto nas propriedades dos produtos.

“O desafio da indústria da alimentação é desenvolver tecnologias e processos que aliem as exigências regulatórias e seu compromisso com a saúde da população com a expectativa do consumidor em relação ao produto (cor, odor, textura e sabor)”, diz.

Segundo a associação, é necessário um período de ajustamento técnico, tecnológico e produtivo, que varia muito de acordo com os produtos em questão.

Para o consultor norte-americano Matthew Egol, as empresas alimentícias têm se beneficiado das mídias sociais para descobrir tendências e preferências do consumidor, mas, ao mesmo tempo, são cada vez mais alvo de reclamações que se ampliam no ambiente on-line.

As novas ferramentas digitais, explica ele, ajudam as empresas a avaliar os riscos decorrentes de críticas dos consumidores, a velocidade com a qual elas se espalham e o grau de influência das pessoas que estão “gritando”.

Embora as empresas relutem em admitir uma conexão direta entre as cruzadas dos consumidores e as mudanças em seus produtos, a ligação parece clara, na avaliação de Egol e de outros analistas norte-americanos.

Casos como a da blogueira Vani Hari e de outros ativistas no campo da alimentação saudável são exemplos sempre citados.

 

fonte: Folha de São Paulo

em: http://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2014/01/1396297-substituicao-por-corantes-naturais-nao-e-tarefa-facil.shtml

 

Anúncios

Publicado em 3 de fevereiro de 2014, em Food Safety e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: